Polícias Civil e Militar prendem autor da morte de fazendeiro em Ipixuna do Pará

A Polícia Civil elucidou, após quatro dias de investigações, o assassinato do fazendeiro Ildeval Lima Machado, 53 anos, crime ocorrido no último dia 09, na zona rural de Ipixuna do Pará, nordeste paraense. O autor do crime, Givaldo Santos Soares do Amaral, de apelido Tuxir, é acusado de ter matado a vítima e ainda de ter tentado violentar sexualmente a esposa de Ildeval. A prisão foi realizada em cumprimento de mandado de prisão preventiva. A prisão foi realizada por uma guarnição da PM que avistou o suspeito às margens da BR 010 e realizou a abordagem. Os policiais militares contataram que ele estava baleado na perna e, assim, ele foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento e depois foi apresentado à Delegacia. O preso admitiu ter atirado no fazendeiro, mas alegou não saber o motivo de ter cometido o crime.

Givaldo afirma ter ido à casa da vítima, segundo ele, para pedir a carroça da vítima emprestada. As investigações tiveram início ainda no último dia 09, quando uma equipe de policiais civis da 13ª Seccional Urbana de Paragominas/ foi deslocada, por volta das 21 horas, para verificar uma ocorrência de homicídio na Fazenda/Sítio Talismã, localizada a 43 KM na zona rural do município de Ipixuna do Pará. Os policiais civis e uma equipe de peritos criminais do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPC) de Paragominas seguiram para o local do crime, onde constataram a morte de Ildeval, vítima de disparo de arma de fogo. O local do crime estava sendo preservado por três equipes da Polícia Militar de Paragominas.

O perito oficial do CPC fez o levantamento do local do crime para aferir a dinâmica do fato criminoso. O corpo foi removido pela equipe do IML para a realização da perícia necroscópica. A testemunha ocular do crime foi a esposa da vítima. Ela foi amarrada durante a ação criminosa. Após matar o fazendeiro, o assassino fugiu levando R$ 400 e o carro da vítima. Givaldo Amaral confessou ter tentado violentar a esposa de Ildeval, deixando-a amarrada no galinheiro da propriedade rural. Ela conseguiu se soltar e ligou para algumas pessoas, pedindo ajuda. No caminho da rota de fuga, o assassino tentou retornar com o veículo para o local do crime, porém o carro atolou em uma vala na estrada da propriedade.

O criminoso então retornou a pé a fazenda para tentou mudar a cena do crime, movendo o corpo da vítima de lugar, limpando o sangue e recolhendo estojo (cápsula) deflagrada. Alguns moradores das redondezas reconheceram o carro da vítima atolado e foram até a propriedade da vítima verificar o que tinha ocorrido. Foi quando encontraram a vítima morta. De imediato, a testemunha confirmou que o autor do crime foi “Tuxir” que trabalhava e morava na fazenda vizinha, cujo proprietário trabalha no município de Paragominas.

Uma guarnição da Polícia Militar foi até a fazenda com a ajuda de um guia e ainda chegou a realizar rondas, mas não conseguiu localizar o criminoso. O relatório do crime encaminhado pela equipe de Paragominas para a Delegacia de Ipixuna do Pará que ficou responsável pelo inquérito e pelo pedido de prisão preventiva do acusado. A ordem de prisão foi deferida judicialmente e cumprida, após o suspeito ter sido encontrado às margens da rodovia BR 010.