Polícia Civil do Pará cria núcleos de inteligência policial no Estado

O governador do Estado do Pará, Helder Barbalho, participou do ato de criação de unidades de Núcleos de Inteligência da Polícia Civil, na manhã desta terça-feira (12), no auditório do Palácio dos Despachos, em Belém. O evento marcou o lançamento dos Núcleos de Apoio à Investigação (NAIs), unidades vinculados ao Núcleo de Inteligência da Polícia Civil (NIP), que ficarão sediados em quatro regiões do interior do Pará: Capanema, Soure, Breves e Tucuruí, e da Seção de Inteligência (SI) da Diretoria de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAV). Os novos NAIs irão atuar no fortalecendo das novas diretrizes institucionais de enfrentamento à violência e aos crimes cometidos no interior do Estado. Os Núcleos de Apoio à Investigação (NAIs) criados irão atender as demandas de investigação nas regiões do Caeté, Marajó Ocidental, Marajó Oriental e Lago de Tucuruí.

A Seção de inteligência da DAV, que será sediada em Belém, vai auxiliar na prevenção e repressão aos crimes discriminatórios de injúria racial, crimes contra crianças e adolescentes, contra idosos, mulheres, portadores de necessidades especiais, moradores de rua, LGBTQI+, e de enfrentamento ao tráfico de pessoas. A meta é garantir a ordem pública e os direitos fundamentais da pessoa humana.

Para o governador do Estado, dentre as estratégias que estão sendo implementadas, está a compreensão que o fortalecimento da Inteligência Policial, o trabalho com a informação e expansão disso para diversas regiões do Estado, permitirá com que o Poder Judiciário, o Ministério Público e os Órgãos de Segurança do Estado, possam estar instrumentalizados para agir de forma preventiva nas ações, e com isso, a efetividade das investigações e a diminuição do crime e da violência por todo o Estado.

“É absolutamente fundamental que, em paralelo às ações ostensivas, repressivas, de enfrentamento a violência, trabalharmos de maneira preventiva, o que exige informação e tecnologia. O que estamos fazendo aqui é exatamente tendo um olhar atento para essa área, para que possamos reduzir a criminalidade e o ato criminal no Estado do Pará. Compreendendo primeiro a extensão territorial do nosso Estado, as peculiaridades de cada região”, destacou Helder. Pelo interior do Pará, já funcionam seis NAIs: Castanhal, Abaetetuba, Santarém, Marabá, Redenção e Altamira.

A ampliação faz parte da estratégia adotada pela Polícia Civil do Pará visando à intensificação dos trabalhos realizados pelo Núcleo de Inteligência. O projeto terá reflexos no combate às ações criminosas em todo o Estado. A meta é instalar Núcleos em todas as regiões. O investimento na ampliação de Unidades de Inteligência Policial no Pará segue a tendência nacional. Para o delegado geral da Polícia Civil, Alberto Teixeira, o combate da criminalidade é missão primordial dos policiais e precisa ser feito com inteligência e tecnologia.

“Utilizando esses dois métodos muito importantes, vamos conseguir evitar que crimes graves possam ocorrer. Então, essa oportunidade de ampliar, por meio do governo do Pará, a inteligência policial, o núcleo de inteligência policial que nos temos na capital do estado, com certeza ajudará na diminuição dos índices de violência”, ressaltou. Participaram do ato de criação de unidades de núcleos de inteligência da Polícia Civil o vice-governador do Estado, Lúcio Vale, o secretário de segurança pública, Ualame Machado, presidente da Companhia de Portos e Hidrovias (CPH), Abraão Benassuly Neto, o deputado estadual, delegado Nilton Neves e outras autoridades.