Operação remove pichações ligadas a facções criminosas em Ananindeua

O Comando de Policiamento da Região Metropolitana da Polícia Militar (CPRM), em conjunto com a Polícia Civil, Guarda Municipal de Ananindeua e Secretaria Municipal de Segurança e Defesa Social do município (SESDS) iniciou, na manhã desta segunda-feira (11), a Operação Tolerância Zero, cujo objetivo é remover pichações feitas por facções criminosas nos muros de bairros localizados na região metropolitana. 

Operação remove pichações ligadas a facções criminosas em Ananindeua

A operação começou na área da Pedreirinha, no bairro da Guanabara, e se estendeu para o loteamento Carlos Marighella, no Aurá e comunidade do Vasquinho, no Curuçambá, bairros do município de Ananindeua. Além de apagar as frases de cunho criminoso, os órgãos de segurança as substituíram pela frase “Cidadão, denuncie o crime no seu bairro (181)”. Em todos os pontos os proprietários do muro foram previamente consultados.

De acordo com o coronel Albernando Monteiro, comandante de Policiamento da Região Metropolitana (CPRM), outros onze pontos de pichação com conteúdo criminoso foram identificados na RMB. “A Operação Tolerância Zero é uma forma de o poder público demonstrar que está tomando as medidas necessárias para garantir a segurança pública. É uma forma de inibir o crime organizado de externar suas ordens, por meio de pichações nas vias públicas”, afirmou. 

Ainda de acordo com o coronel, os locais de pichação também coincidem com os bairros de maior incidência criminal na área metropolitana e a resposta da PM já tem sido dada. “Nos últimos finais de semana, com o reforço do Comando de Missões Especiais, implementamos várias modalidades de policiamento e obtivemos bons resultados”, completou.

“Além de ser uma forma educacional e preventiva de combater o crime, nós teremos uma resposta da população, com certeza, pelo número 181, no Disque-denúncia”, frisou o delegado James Souza, responsável pela Superintendência da Polícia Civil na Região Metropolitana. O secretário municipal de segurança pública de Ananindeua, José Maria de Lima, afirmou que o objetivo principal é mostrar a força do poder público em benefício da população. “Não tenho dúvida de que essa união vai ser bem-vinda para o nosso município”.

Pará Marina Santos, 35 anos, moradora do loteamento Carlos Marighella, a ação dos órgãos de segurança pública reforça a sensação de segurança. “Essa iniciativa é ótima, evita o constrangimento de pessoas que ficam intimidando a população”, elogiou a moradora que mora em frente a alguns muros com pichações. 

A Operação Tolerância Zero deve prosseguir nos próximos dias, em parte da área de circunscrição do CPRM, que abrange o 6º (Jaderlândia, Atalaia, Cidade Nova, Icuí e 40 Horas), 21° (Marituba), 29º (Paar, Curuçambá e Distrito Industrial) e 30º batalhões (Guanabara, Águas Lindas, Águas Brancas e Aurá), além da 2ª Companhia Independente de Polícia Militar, com sede em Benevides. Juntas, as unidades são responsáveis por 26 bairros de Belém, Ananindeua, Marituba e Benevides.