Polícia civil e militar cumprem mandado de prisão

A Polícia Civil do Estado do Pará deflagrou, nesta manhã, a Operação Ronda Noturna, com a participação de mais de sessenta policiais civis e militares, sendo cumpridos 7 mandados de busca e apreensão e 4 mandados de prisão temporária, em face de 03 policiais militares e de um civil suspeitos de integrarem grupos que praticavam crimes em série, com características de execução, na região metropolitana de Belém.

A operação é resultado de três inquéritos policiais, que apuram duas tentativas de homicídio e um consumado, sendo que uma das ações criminosas ocorreu em Santa Maria de Benfica-PA, em outubro de 2018, e as outras duas no Conjunto Beija-Flor, município de Marituba, em fevereiro de 2019.

De acordo com as investigações, vigilantes da empresa clandestina de segurança denominada SL Vigilância, a qual presta serviços de segurança a comerciantes e moradores dos bairros Nova Marituba, Decouville e Conjunto Beija-Flor, são apontados como autores de vários homicídios ocorridos na área, cujas vítimas seriam pessoas suspeitas de praticarem furtos e roubos, bem como clientes da empresa inadimplentes e moradores suspeitos de passarem informações acerca das mortes ocorridas nos bairros à Polícia.

A investigação apontou ainda que os vigilantes da SLVigilância, cujo proprietário é o Cabo da Polícia Militar Henrique da Silva Lima, mais conhecido por Cabo da Silva ou Cabo Lima, realizam ronda noturna diariamente nos locais mencionados, em motocicletas numeradas, encapuzados, trajando roupas pretas e portando armas de fogo, mesmo sem autorização para portá-las, tanto que o proprietário e um dos seus funcionários foram presos, em flagrante delito, no ano de 2017, por uma equipe da Polícia Militar, por portarem armas de fogo sem o respectivo registro.

Na sede da empresa de vigilância, foram apreendidos aparelhos celulares, inúmeras munições deflagradas de calibres diversos, produto das “faxinas” realizadas, pelo grupo, logo após a prática dos homicídios, motocicletas, capas de colete balístico, cassetetes, balaclavas e fardamento.

Ao tomar conhecimento da chegada dos policiais ao bairro Nova Marituba, o Cabo Silva empreendeu fuga, levando consigo as armas usadas por seus vigilantes.

Três dos policiais presos já haviam sido alvos na Operação Anonymous e dois já se encontram custodiados no Crecan.

Informações até o presente momento: 07h30m.